Pesca Feliz

Siga nossas redes

Criptonews

Israel confisca contas de criptomoedas ligadas ao Hamas na Binance

Publicado

em

Tempo médio de leitura: 4 minutos

  • Telegram
  • Flipboard
  • Google News

* ARTIGO

As autoridades de Israel anunciaram uma operação bem-sucedida nesta terça-feira (10) que resultou no congelamento das contas de criptomoedas ligadas ao grupo terrorista Hamas criadas na corretora Binance

A polícia israelense informou que o Hamas foi identificado como o responsável pela criação dessas contas, que têm estado ativas em várias redes sociais desde sábado (7) — início da guerra — com o propósito de arrecadar fundos. 

Fumaça é vista atrás de Ashkelon perto da fronteira com Gaza, no sul de Israel 13/10/2023 REUTERS/Amir Cohen

Deacordo com a mídia local Calcalist, a unidade cibernética do Lahav 433, em colaboração com outras agências de inteligência do país como a Sede Nacional de Guerra Econômica contra o Terrorismo (MTL) do Ministério da Defesa e o Shin Bet, foi responsável por essa operação. 

“Documentos indicam que a Binance tinha conhecimento de transações do Hamas em sua plataforma”

Calcalist

Em paralelo ao confisco na Binance, a unidade cibernética israelense também congelou uma conta do Hamas no banco Barclays. No entanto, até o momento, as autoridades não revelaram quanto foi apreendido, quantas contas foram congeladas e como essas contas, juntamente com sua aparente ligação com o Hamas, foram identificadas.

As autoridades policiais de Israel e as Forças de Defesa de Israel reforçaram que continuarão visando manter a proteção de ativos financeiros estratégicos e a enfrentar as fontes de financiamento de organizações terroristas.

O Hamas, cuja sigla em árabe significa “Movimento de Resistência Islâmica”, é a maior organização islâmica ativa na Palestina, com uma inclinação sunita. 

A organização é mais conhecida pelo seu braço armado, que luta pela soberania da Faixa de Gaza. No entanto, além de seu aspecto político, o Hamas também diz ter um braço que  presta serviços sociais às comunidades palestinas, que predominantemente habitam áreas empobrecidas e com infraestrutura precária.

O envolvimento da Binance não é de hoje

A nova operação contou com a colaboração da Binance, que auxiliou a redirecionar os fundos para as autoridades. Contudo, essa iniciativa não aconteceu sem controvérsias.

Desde 2021, as autoridades israelenses conduziram diversas operações visando contas na Binance suspeitas de estarem associadas a organizações terroristas. Um total de 190 contas foram congeladas durante essas operações. 

Além disso, em março deste ano, a Comissão de Negociação de Futuros de Commodities dos EUA (CFTC) moveu uma ação judicial contra a Binance, seu CEO, Changpeng Zhao, e Samuel Lim, ex-diretor de conformidade da corretora. 

As alegações da CFTC incluíam violações de várias seções da lei de negociação de valores mobiliários, especialmente normas voltadas para prevenção de lavagem de dinheiro e financiamento do terrorismo.

Cripto e o terrorismo

Este episódio sublinha os desafios enfrentados pelas exchanges em lidar com transações potencialmente ilícitas. Além disso, enfatiza a problemática do uso indevido de criptomoedas por grupos extremistas.

Apesar de mais uma polêmica envolvendo a Binance, é preciso lembrar que o setor financeiro tradicional também passa por escândalos, como os colapsos dos bancos como SVB, First Republic e Credit Suisse.

A colaboração entre as autoridades israelenses e a Binance, apesar das controvérsias, ilustra os esforços conjuntos para manter a integridade do sistema financeiro e proteger a segurança global.

*As informações, análises e opiniões contidas neste artigo são de inteira responsabilidade do autor e não do Pesca Feliz.

Veja também

Boletim Pesca FelizBoletim Pesca Feliz
ANÚNCIO PATROCINADOConfira

Abra sua conta! É Grátis

Já comecei o meu cadastro e quero continuar.
Hidrogênio Verde
Pesca Feliz Mapa do site