Pesca Feliz

Siga nossas redes

Finanças

‘Dinheiro para quê?’ Follow-on surpresa do Banco Inter pode ter alvo certo

Mercado indaga para quê banco digital faz oferta de ações, mas captação de quase R$ 1 bilhão pode ser para aquisições.

Publicado

em

Tempo médio de leitura: 4 minutos

  • Telegram
  • Flipboard
  • Google News

OBanco Inter(INBR32) pegou de surpresa boa parte do mercado financeiro esta semana, ao anunciar uma oferta pública subsequente de até 32 milhões de ações ordinárias Classe A, com opção de colocação de lote adicional. A operação surpreendeu porque a fintech não precisa de capital, deixando parte dos analistas sem entender nada.

“Dinheiro para quê?”, indaga a XP Investimentos, em relatório. No fato relevante, o Inter afirma que pretende usar os recursos da oferta para “fins corporativos gerais”. Para os analistas do setor financeiro da XP, a declaração “pouco específica” levantou dúvidas sobre a “lógica” da operação, uma vez que “a utilização dos recursos carece de clareza”.

Banco Inter
Banco Inter. Crédito: Divulgação/Banco Inter

Porém, o follow-on do banco da família Menin, que captou US$ 162 milhões – o que representa um aumento de capital de R$ 800 milhões, considerando as cotações atuais do câmbio e a das ações do Inter – pode ter destino certo. E o objetivo pode ir muito além de simplesmente “aumentar a liquidez das ações”, como apontou o BTG, também em relatório. 

Palpite: M&A

O “palpite” da analista independente Cristiane Fensterseifer (e ela deixa bem claro que se trata de palpite, ou seja, algo que pode não ocorrer) é de que o Banco Inter pretende usar esse caixa para fazer aquisições. Em análise publicada no site Investe 10, Cristiane avalia que tal suposição é amparada nos números financeiros da fintech e em seu guidance.

“A meta amplamente divulgada pelo Inter é de crescer para um ROE de 30% em 2027, o que significa um lucro estimado de cerca de R$ 5 bilhões, ‘muito’ maior que os atuais R$ 600 milhões, anualizando o lucro esperado do 4T23”, explica, citando o indicador que mede a capacidade do banco em gerar valor aos acionistas com base nos recursos que possui. 

O ROE vem do inglês Return on Equity, que em português significa Retorno sobre o Patrimônio Líquido. É calculado pela divisão do lucro líquido pelo patrimônio líquido, que equivale aos ativos de uma empresa menos sua dívida. Assim, o ROE é considerado o retorno financeiro que a empresa consegue obter sobre os ativos líquidos. 

ROE e índice de Basileia

Ao anunciar seu quarto follow-on, o Inter também divulgou estimativas para os resultados do quarto trimestre de 2023, nas quais apontou ROE entre 8,0% e 8,3% e lucro líquido entre R$ 150 milhões e R$ 155 milhões. Para a XP, considerando-se o crescimento do ROE e a forte posição de capital, ambos acima do consenso, é difícil entender o porquê da oferta. 

Na mesma linha, a Genial Investimentos afirma que o banco não precisava dessa captação, pois está com uma estrutura de capital sólida. Em relatório, o analista Ygor Araújo destaca que, com a oferta, o índice de Basileia, que se refere à capitalização, deve passar de 23,7% para 27%. 

Cartões do Banco Inter. Crédito: Divulgação/Banco Inter
Cartões do Banco Inter. Crédito: Divulgação/Banco Inter

Para o analista Eduardo Rosman, do BTG, trata-se de um “nível muito alto” e sem fusões e aquisições (M&A) no horizonte. Além disso, cálculos da Nord Research estimam que se o Inter bater o lucro de R$ 5 bilhões em 2027, o potencial de valorização da ação é de mais de 60% por ano pelos próximos quatro anos. 

Meta audaciosa

Assim, as ações do banco digital passariam a ser avaliadas pelo mesmo preço dos grandes bancos tradicionais, despontando entre os rivais frente à concorrência direta. Daí porque a analista independente avalia que, para o Inter conseguir essa meta “audaciosa”, é natural esperar “algumas aquisições no caminho”. 

“Particularmente, avalio que uma aquisição seria muito útil para isso”.

Cristiane Fensterseifer, analista independente.

Além disso, ela chama a atenção para o interesse do Inter em expandir sua atuação no exterior. Citando reportagem da imprensa nacional, ela destaca que o banco digital quer ter 50 milhões ou até 100 milhões de clientes nos Estados Unidos. Atualmente, são 30 milhões no Brasil, adicionando cerca de 600 mil novos clientes por mês.

Para a analista, o “sucesso” do aplicativo do banco digital no Brasil poderia ser replicado nos Estados Unidos, onde, segundo ela, o sistema de serviços bancários deixa a desejar para o brasileiro. “Quanto mais clientes o Inter tiver, maiores serão seus ganhos de escala e isso ajuda a impulsionar o lucro e o ROE, como já se viu no 3T23”, ressalta Cristine. 

Veja também

Boletim Pesca FelizBoletim Pesca Feliz
ANÚNCIO PATROCINADOConfira

Abra sua conta! É Grátis

Já comecei o meu cadastro e quero continuar.
Hidrogênio Verde
Pesca Feliz Mapa do site