Pesca Feliz

Siga nossas redes

Finanças

Investimento em IA, eficiência operacional, maiores lucros, China: o que foi destaque nos balanços das big techs

Microsoft, Alphabet, Amazon, Meta e Apple reportaram resultados melhores que o esperado, o que faz o 4º trimestre de 2023 se destacar entre os demais.

Publicado

em

Tempo médio de leitura: 11 minutos

  • Telegram
  • Flipboard
  • Google News

Microsoft, Alphabet (dona do Google), Amazon, Meta e Apple reportaram resultados melhores que o esperado, o que faz o 4º trimestre de 2023 se destacar entre os demais do ano para as big techs. Mas o que deu mesmo o tom dos balanços e repercutiu nas bolsas americanas foi a tacada das companhias em investir pesado em suas ferramentas de inteligência artificial. A questão é que investidores ávidos por um retorno rápido, dadas as cifras bilionárias investidas, fizeram algumas ações oscilarem – para cima e para baixo.

Na tarde desta sexta-feira (2), Microsoft, Amazon e Meta registravam altas de 2%, 8% e 21%, respectivamente. Já Apple e Alphabet oscilavam com quedas entre 0,9% e 0,4%, nesta ordem.

As duas últimas decepcionaram investidores em alguns pontos dos balanços, enquanto as três primeiras renovaram ânimos de maior crescimento de lucros com IA e eficiência operacional. Veja os destaques no decorrer da matéria.

big techs amazon google apple facebook

Microsoft: gastos com IA pesam nos números

A Microsoft aponta vir investindo pesado em IA, uma vez que firmou colaboração com a OpenAI, criadora do ChatGPT, ao incluir no ano passado chatbots em seus principais produtos, como o pacote Office e o mecanismo de busca Bing. Isso fez com que as ações da companhia acumulassem alta de 57% em todo 2023. 

A questão é que IA é cara – e, claro, os custos da big techcresceram. Os investimentos da companhia aumentaram em US$ 300 milhões frete ao trimestre anterior, para US$ 11,5 bilhões. Só que, até o fim de 2024, espera-se que essa cifra alcance os US$ 46 bilhões – no mínimo. Agora, investidores seguem atentos para o crescimento dos negócios nessa seara e de computação em nuvem.

“Deixamos de falar sobre IA para aplicar IA em escala”, disse o presidente-executivo, Satya Nadella, aos investidores. “Ao inserir a IA em todas as camadas de nossos produtos, estamos conquistando novos clientes.”

Em números gerais, a receita da Microsoft no trimestre apresentou aumento de 17,6% ante o mesmo período do ano anterior, atingindo os US$ 62 bilhões. O lucro líquido, de US$ 21,87 bilhões, foi 33% superior na mesma base de comparação. 

  • Descubra a história de Bill Gates: o magnata e filantropo fundador da Microsoft

As principais linhas de negócio bateram as estimativas dos analistas, com o segmento de cloud (responsável por 42% das receitas) registrando um crescimento de 20% ano contra ano, alcançando US$ 25,88 bilhões. 

A linha que engloba o Microsoft Office, LinkedIn apresentou crescimento de 13% ano a ano, respondeu por 31% da receita, e ficou acima do esperado pelo mercado. O segmento de Personal Computing que abarca o Xbox, Windows, Bing e venda de PCs respondeu por 27% da receita do trimestre, e teve um crescimento anual de 19% na receita.

Segundo a Avenue, a empresa segue focada em reduzir custos com a subsidiária da Microsoft no LinkedIn.  Na semana passada, a bigtech disse que está eliminando cerca de 1.900 funcionários em sua unidade de jogos (9% do quadro) após o acordo com a Activision.

Alphabet (GOOGL): custos frustram mercado

A controladora do Google viu suas ações recuarem após a divulgação dos resultados depois que a empresa projetou gastos mais altos este ano em itens como servidores para alimentar sua inteligência artificial. As vendas de publicidade na temporada de férias também ficaram abaixo das expectativas, apesar de os números gerais surpreenderem.

Embora as gigantes de tecnologia tenham sinalizado sobre como seus clientes estão absorvendo os produtos geradores de inteligência artificial, os altos custos com desenvolvimento da tecnologia irritam investidores impacientes por um grande aumento nas vendas.

Mas segundo o CEO Sundar Pichai, a companhia está satisfeita com a força contínua de seu buscador (Google) e com a crescente contribuição de YouTube e Cloud aos resultados.

 “Cada um deles já está se beneficiando dos investimentos e inovação em IA. Ao entrarmos na era da Gemini o melhor ainda está por vir”, disse em mensagem aos investidores. Em tempo: Gemini é o novo modelo de linguagem de IA usado pela empresa.

Abrindo por linhas de negócios, grande parte das receitas do Google se origina dos “Ad’s” (anúncios). No 4º trimestre, essa linha respondeu por 76% do total, atingindo US$ 65,52 bilhões –  mas um pouco aquém do esperado pelo mercado (US$ 65,94 bilhões). 

O Google Cloud ainda é seu segmento de maior crescimento, com a receita expandindo 26% nesse trimestre ante o período anterior, respondendo por 11% das receitas. 

Já as receitas com anúncios do Youtube cresceram 15,5% ano contra ano, mas ficaram levemente aquém do esperado.

O Google apresentou uma receita total de US$ 76 bilhões no quarto trimestre de 2023, um crescimento de 13% frente ao mesmo período do ano anterior (seu maior crescimento num trimestre desde início de 2022). O lucro líquido saltou 52% ano contra ano para US$ 20,7 bilhões desde os US$ 13,6 bilhões do 4T22. 

Amazon: vendas e lucro em alta

A Amazon, por sua vez, viu suas ações dispararem após a divulgação de resultados, com os papéis saltando 6% no pré-market desta sexta das bolsas americanas. Vendas acima do esperado e maior lucro com serviços de computação em nuvem deram o tom, mas em especial, devido a novidades relacionadas a ferramentas de inteligência artificial.

O AWS, segmento de armazenamento na nuvem da Amazon, seguiu crescendo, atingindo receitas de US$ 24,2 bilhões, cifra 13% maior ante o 4T22 e mostrando melhora ante o crescimento de 12% do trimestre anterior. 

“Tão importante quanto o crescimento da receita, foi a lucratividade da AWS que alcançou US$ 7,2 bilhões (68% do lucro total da Amazon)”, aponta a Avenue. 

As receitas gerais da companhia tiveram crescimento de 14% na comparação anual, com destaque para vendas  internacionais, uma  expansão de 17%. 

O lucro total de US$ 10,6 bilhões impressionou já que em igual período de 2022 o resultado reportado foi de US$ 278 milhões. Com isso, o fluxo de caixa operacional da Amazon aumentou 82% para US$ 84,9 bilhões nos últimos 12 meses, “mostrando que os esforços de controle de custos surtiram efeito”, aponta a casa de investimentos americana.

A empresa demitiu 27 mil funcionários entre o final de 2022 e meados de 2023.

A tacada da Amazon em IA

No balanço, a Amazon apontou para o lançamento de várias inovações baseadas em inteligência artificial. Uma delas foi o “Rufus”, um assistente de compras baseado em AI treinado no catálogo de produtos do e-commerce e em informações da web para responder às perguntas dos clientes e fazer recomendações.

A gigante  também criou uma solução generativa de IA para ajudar marcas a produzirem imagens a fim de melhorar o desempenho de seus anúncios, além de fazer uma parceria com a Nvidia para fornecer infraestrutura, software e serviços  avançados, potencializando inovações de IA. 

O CEO Andy Jassi disse que a receita da IA generativa dentro da receita anual de mais de U$ 100 bi ainda é relativamente pequena, “mas, acredite, nós vamos gerar dezenas de bilhões de dólares em receitas nos próximos anos”, informou aos investidores.

Apple: recuo das vendas na China

A companhia liderada por Tim Cook viu suas ações caírem após a divulgação do balanço, mas não por gastos com IA, e sim pelo recuo das vendas na China. 

As receitas no país asiático somaram US$ 20,8 bilhões – uma queda de 13%. O resultado foi abaixo das estimativas de analistas de US$ 23,5 bilhões, segundo dados da LSEG. 

A companhia justificou o menor crescimento dado o número de semanas do trimestre que impactam suas vendas. “É importante lembrar que no ano passado tivemos 14 semanas no trimestre. Este ano tivemos 13”, disse o CEO Tim Cook, em relatório.

Mas a companhia reportou crescimento nas vendas em todas as regiões, exceto na Grande China, o que alimenta receios com a concorrência que a empresa enfrenta. 

À Reuters, Cook disse que a China “é o mercado de smartphones mais competitivo do mundo”, e que isso “ainda não mudou”.

Ainda assim, as vendas gerais saltaram modestos 2% no 1º trimestre fiscal da empresa encerrado em 30 de dezembro, colocando um fim aos quatro trimestres seguidos de queda. Foi sua linha de iPhones 15 que impulsionou o resultado, uma vez que inclui dispositivos capazes de capturar vídeo tridimensional para o óculos Vision Pro, que está sendo lançado esta semana.

A fabricante do iPhone registrou vendas de US$ 119,58 bilhões e lucro de US$ 2,18 por ação no período – ambos acima das expectativas de analistas de US$ 117,91 bilhões  e US$ 2,10 por ação, respectivamente, de acordo com a LSEG.

A margem de lucro líquido de US$ 33,92 bilhões foi 13% maior  ante o mesmo período do ano passado.

Já as vendas de iPhones (que representam mais de 58% de suas vendas)  atingiram US$ 69,7 bilhões, alta de 6%, superando os US$ 67,8 bilhões esperados por analistas. 

O segmento de serviços (que equivale a cerca de 20% das receitas) apresentou crescimento de 11% ante igual trimestre de 2022, mas ficando aquém das estimativas do mercado.

Já as vendas de Mac – também   acima do esperado – mostraram recuperação depois da queda de 34% no último trimestre. 

Por sua vez, as  vendas de iPad continuam a cair (- 25% na comparação anual) – o que segundo a Avenue, indica que o não lançamento de um novo modelo em 2023 pela primeira vez na história do produto pode ter impactado. 

Enquanto isso, a “sofrência” da companhia no último trimestre tem nome e se chama  “Wearables”. Essa divisão, que inclui AirPods e Apple Watch, registrou queda de 11% nas  vendas. Analistas da Avenue lembram que os mais novos Apple Watches chegaram a ser removidos por alguns dias de dezembro das lojas da Apple devido a uma disputa de patente com a empresa de dispositivos médicos Masimo. 

Por fim, a Apple disse que desembolsou quase US$ 27 bilhões em dividendos e recompra de ações durante o trimestre. A companhia é avaliada em cerca US$ 2,8 trilhões.

Meta: dividendos animam investidores

A dona do Facebook, Instagram e Whatsapp viu suas ações subirem impressionantes 15% no aftermarket pós divulgação de balanço uma vez que a empresa não só superou as expectativas de Wall Street e deu um outlook positivo para 2024, como também disse que vai, pela primeira vez, pagar dividendos – além de um amplo programa de recompra de ações.

A Meta reportou uma receita 25% maior no trimestre (US$ 40,1 bilhões)  frente ao mesmo período do ano anterior e acima da estimativa dos analistas de US$ 39,2 bilhões. O segmento de publicidade, que representa mais de 95% da receita, apresentou um crescimento anual de 24%. 

“A empresa reportou uma margem operacional de 41% no trimestre, que contrastada drasticamente com a margem de 20% no 4T22. Essa entrega de margem levou a Meta a entregar um lucro líquido por ação de US$ 5,33, acima dos US$ 4,96 que Wall Street esperava”, aponta a Avenue. 

O número de clientes ativos por mês atingiu os 3,07 bilhões e uma receita média por usuário de US$ 13,12, também ambos melhores do que era previsto pelo mercado. A empresa ainda entregou uma estimativa de receita para o próximo trimestre de 2024 entre US$ 34,5 e US$ 37 bilhões, enquanto o mercado esperava US$ 33,87 bilhões. 

Mas o que causou mesmo alvoroço entre investidores foi o fato de a companhia liderada por Marck Zuckerberg ter anunciado o seu primeiro dividendo da história. Serão pagos US$ 0,50 por ação, em 26 de março. A empresa também comunicou que iria ter um novo programa de recompra de ações de US$ 50 bilhões. 

“Este é um evento relevante, uma vez que ela é uma empresa de crescimento do setor de tecnologia e, através de dividendos e da recompra de ações, devolve dinheiro aos seus acionistas”, aponta a Avenue.      

Mas um outro ponto que causou ânimo do mercado foi o fato de Zuckerberg dizer aos investidores que passou a apreciar a eficiência depois de cortar milhares de empregos no ano passado.

“Sinto que realmente comecei a pensar que operamos melhor como uma empresa mais enxuta”, disse, acrescentando que os aumentos no número de funcionários seriam “relativamente mínimos”, mesmo após este ano.

Veja também

Boletim Pesca FelizBoletim Pesca Feliz
ANÚNCIO PATROCINADOConfira

Abra sua conta! É Grátis

Já comecei o meu cadastro e quero continuar.
Hidrogênio Verde
Pesca Feliz Mapa do site